Perfil dos consumidores de alimentos transgênicos em Goiânia, Goiás

19 de agosto de 2014

Autoras:
Dayane Moraes Oliveira
Idalina Thiomi Inumaru Nojimoto

Resumo:
Esta pesquisa tem como objetivo avaliar o conhecimento e o grau de aceitação sobre os alimentos geneticamente modificados (AGMs) pelos alunos do 1º a 4º período do curso de nutrição e pelos consumidores de Goiânia. A população estudada, em novembro 2012, foi composta de 100 alunos e de 100 consumidores que foram entrevistados por meio de um questionário contendo 5 perguntas de múltipla escolha relacionadas à definição, consumo de alimentos transgênicos e rotulagem. Apenas responderam ao questionário os que aceitaram voluntariamente participar da pesquisa mediante assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Pelos resultados, pôde-se perceber que 91% dos alunos do curso de Nutrição e 60% dos consumidores de dois supermercados souberam o que são AGMs. Dentre a população estudada 37,7% admitiram que consomem AGMs e 23,8% conhecem o símbolo “T” dos alimentos transgênicos. Foi verificado que 79,5% não se importariam em consumir AGMs e que 60% observam o rótulo durante a compra. Os resultados mostraram que há falta de conhecimentos dos consumidores dos supermercados sobre o que são alimentos transgênicos, porém, em contraposição, a maioria dos estudantes tem conhecimento sobre os mesmos. Na população estudada foi constatada que há desinformação sobre a presença dos alimentos transgênicos nos produtos industrializados e também do significado do símbolo “T”, bem como os riscos de consumo de AGMs. A falta de informação lesa o direito de escolha do consumidor, por não saber o produto que está escolhendo e consumindo.
Palavras-chave: alimentos geneticamente modificados, rotulagem, bioética, segurança alimentar.

Profile of consumers of genetically modified foods in Goiânia, Goiás

Abstract:
This research aims to assess the knowledge and the degree of acceptance of genetically modified foods (GMFs) by students from the 1st until the 4th semester of the Nutrition course, and by consumers of Goiânia, Goiás. The studied population, in November 2012, was composed of 100 students and 100 consumers who were interviewed using a questionnaire containing 5 multiple choice questions related to the definition, consumption, and labeling of GMFs. Only answered the questionnaire those who volunteered to participate in the study by signing the consent form. The results showed that 91% of nutrition students and 60 % of two supermarkets consumers knew what are GMFs. Among the studied population, 37.7 % admitted to GMF consumption, and 23.8 % knew the “T” symbol of transgenic foods . It was found that 79.5 % would not mind consuming GMFs and 60 % look for the label info when making a purchase. The results showed that there is a lack of knowledge of supermarkets consumers about what are GMFs, however, in contrast, most students know about them. In the studied population it was found that there is misinformation about the presence of GMFs in manufactured products and also about the meaning of the “ T “ symbol, as well as the risks of consuming GMFs. The lack of information affects the consumer’s right to choose, for not knowing the product they are consuming.
Keywords: genetically modified foods, labeling, bioethics, food security.

Clique aqui para baixar este artigo na íntegra em PDF.

Download the PDF file .